Jovem suspeito de envolvimento em homicídios em Juiz de Fora é preso durante ação da Polícia Civil

A Polícia Civil de Juiz de Fora, através da Delegacia Especializada de Homicídios, realizou uma ação nessa quarta-feira,5, com o objetivo de combater os crimes ocorridos na zona Sul de Juiz de Fora, especificamente no bairro Sagrado Coração de Jesus.

De acordo com o delegado Armando Avolio, foram cumpridos mandados de busca e apreensão e prisão preventiva de um suspeito, 19 anos, de ser autor de um homicídio ocorrido no dia 1° de junho, no condomínio Araucárias, no bairro Sagrado Coração de Jesus, onde a vítima foi um homem de 26 anos. Foram seis meses de investigação, de acordo com as informações foram identificados quatro envolvidos, um foi preso durante a ação realizada, outros dois estão foragidos. A PC descobriu que o quarto envolvido está morto. Avolio explicou que o crime em questão aconteceu por disputa de ponto de tráfico de drogas.“A vítima vendia drogas e estava em desavença com o grupo investigado. Eles chegaram no local atirando, o que acabou resultando na morte da vítima de 26 anos. O grupo também acabou seguindo mais dois amigos da vítima que estavam no local do crime”, explica.

Conforme explicou o delegado, nós últimos dois meses foram registrados quatro homicídios no bairro, sendo dois tentados e dois consumados. “Consideramos uma área de atenção especial. Pedimos a prisão dos autores e conseguimos cumprir uma prisão e os outros dois estão foragidos. O que prendemos hoje tem envolvimento com essas ocorrências registradas no bairro e os outros dois têm ligação com a maioria delas”, disse.

O suspeito foi encaminhado para o Ceresp, Centro de Remanejamento do Sistema Prisional de Juiz de Fora. Ele tem passagem por homicídio, roubo, tráfico de drogas e porte de arma, mas não foi preso anteriormente.

 

DIMINUIÇÃO DOS CRIMES DE HOMICÍDIO

            O delegado Armando Avolio avalia positivamente a ação realizada pela equipe da Delegacia Especializada de Homicídios da Polícia Civil. “Eu e minha equipe procuramos, como uma das nossas frentes de atuação, identificar esses grupos contumazes na prática de homicídios nos bairros. Identificamos esses grupos, fazemos os levantamentos, fazemos a qualificação de todos eles e depois apuramos cada homicídio pedindo a prisão dos autores para retirá-los de circulação. Quando retiramos eles de circulação, a sociedade percebe que estamos prendendo, a vítima não revida porque os autores foram presos e os comparsas não matam porque entenderam a ação da Polícia”, explica. De acordo com Avolio, desde o início de 2017 houve uma diminuição de mais de 40% em crimes de homicídios na cidade.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente



Digite a palavra e tecle Enter.