“Corredor Cultural” está garantido e terá mais de cem atrações gratuitas

Mais de uma centena de atrações em 75 eventos gratuitos de arte e cultura vão mobilizar Juiz de Fora durante o “Corredor Cultural 2018”, que acontece nos dias 14, 15 e 16 de dezembro. A programação da festa foi divulgada pela Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa), em entrevista coletiva no Anfiteatro “João Carriço”, nesta sexta-feira, 30. Haverá atividades em 32 espaços, totalizando 15 bairros, em cinco regiões da cidade.

Em sua décima edição, o “Corredor Cultural” reafirma seu caráter de pluralidade, oferecendo atrações para todas as idades e gostos, nos segmentos de teatro, circo, dança, música, games, cinema, música, literatura, performances, mágica, moda, gastronomia, contação de histórias, batalha poética, discotecagem e artes visuais. A proposta é incentivar a ocupação artístico-cultural da cidade, convidando a população a circular pelos bairros e mostrando que investir em cultura é promover bem-estar e saúde.

Além de marcar uma década do projeto, a edição 2018 do “Corredor Cultural” é emblemática por ser a primeira parceria público-privada da Funalfa. Sua realização foi viabilizada com apoio da Unimed Juiz de Fora, que atendeu ao “Edital de Chamamento Público para Captação de Patrocínio”, lançado pela Funalfa. “Esperamos que o patrocínio ao ´Corredor Cultural 2018´ seja apenas a primeira de muitas parcerias da nossa cooperativa médica com o Executivo. Também torcemos para que essa decisão pioneira de destinar impostos para apoiar a cultura local inspire outras empresas da cidade,” declarou a gestora de Comunicação e Marketing da Unimed Juiz de Fora, Flávia Rocha.

Já o superintendente da Funalfa, Zezinho Mancini, destacou a importância da Lei Rouanet para viabilizar ações de cultura, sobretudo em um cenário de sérias restrições financeiras, como o atual. “A renúncia fiscal é uma estratégia eficiente para reverter os efeitos perversos do pacto federativo, que concentra mais de 70% dos impostos pagos na esfera federal. Por meio da Rouanet, as empresas e pessoas físicas podem escolher destinar parte dos impostos devidos a projetos locais, o que fomenta a economia do município”.

Durante a coletiva, Flávia Rocha anunciou que a Unimed Juiz de Fora lançará uma campanha para incentivar a participação do público na maratona cultural, com o slogan “Vai Rolar”. Zezinho observou que a iniciativa faz coro com o mote “#DêUmRolê”, criado pela Funalfa, que também é um convite à participação dos juiz-foranos nos eventos do “Corredor Cultural”, percorrendo os bairros, conhecendo museus, centros culturais, teatros e espaços abertos. Essa circulação favorece encontros e promove a ocupação saudável dos espaços.

O site com toda a programação do evento já está no ar – corredorculturaljf.com.br, com filtros por tipo de evento, local e data, além de mapa para localização.

Paço Municipal e Funalfa

Um dos destaques da programação 2018 do “Corredor Cultural” é a comemoração do centenário do antigo Paço Municipal e dos 40 anos da Funalfa. Haverá solenidade oficial, com informações históricas sobre o prédio e a Fundação, exposição de imagens e documentos, visitas guiadas à construção centenária, além da distribuição de um pôster/zine com ilustração e curiosidades do imóvel.

Considerado uma das construções mais simbólicas da arquitetura e da história de Juiz de Fora, o Paço foi criado para abrigar o Executivo Municipal, função que manteve entre 1918 e 1997. Desde então, funciona como sede da Funalfa, e hoje abriga também o Espaço Cidadão – Centro.

Testemunha do crescimento da cidade e tombado pelo município em janeiro de 1983, o prédio está instalado em uma das esquinas mais movimentadas de Juiz de Fora – Avenida Rio Branco com Rua Halfeld, compondo o conjunto paisagístico do Parque Halfeld. O imóvel foi construído na gestão do Agente Executivo (cargo correspondente hoje ao de Prefeito) José Procópio Teixeira, com projeto da Companhia Pantaleone Arcuri & Spinelli.

Já a criação da Funalfa é um dos aspectos do pioneirismo juiz-forano. Instituída através da Lei 5.471, regulamentada em 14 de dezembro de 1978, passou a ser a primeira fundação municipal responsável pela gestão da cultura no Estado de Minas Gerais.

Hoje, além de responder pela política cultural do município, a Funalfa administra espaços de grande importância: a Biblioteca Municipal “Murilo Mendes”, o Centro Cultural “Bernardo Mascarenhas” (CCBM), o Museu Ferroviário de Juiz de Fora, o Anfiteatro “João Carriço”, o Centro Cultural “Dnar Rocha”, o Teatro “Paschoal Carlos Magno” e o Centro de Artes e Esportes Unificados Coronel “Adelmir Romualdo de Oliveira” (Praça CEU). Também cabe à Funalfa gerenciar a Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Lei Murilo Mendes) e secretariar as atividades do Conselho Municipal de Cultura (Concult) e do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac).

Fonte: Assessoria

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente



Digite a palavra e tecle Enter.