Sada Cruzeiro vence o Sesi-SP e é campeão da Superliga masculina 2017/18

A manhã do domingo foi de festa para o Sada/Cruzeiro, campeão da Superliga em cima do Sesi-SP. O Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, recebeu o jogo decisivo, que terminou 3 sets a 2, com parciais de 25/16, 17/25, 25/22, 23/25 e 22/20. Em jogo espetacular, os dois times mantiveram o alto nível de voleibol até o fim da partida. O Sesi precisava da vitória para forçar o super set e ter chance de ser campeão, mas não conseguiu aproveitar os match points no quinto set e viu o Cruzeiro se sagrar hexa.

Recheado de estrelas olímpicas, o time paulista entrou sem a intensidade esperada. Embalado pelo ginásio lotado, o Cruzeiro não ficou atrás no placar de sets em nenhum momento. Em jogo incrível de Evandro, maior pontuador da partida, junto com Simon e Leal, os donos da casa souberam ter cabeça para segurar a pressão do Sesi e, com muita emoção do set final, fechar a partida para confirmar o título.

A bola voou no Mineirinho para um começo de jogo com um equilíbrio rápido. A igualdade no placar durou pouco e o Cruzeiro logo tomou a frente, com boas bolas do cubano Leal. O bom início do time azul inflamou a torcida e, com direito a ace e levantamento com o pé, a diferença no placar chegou a ser de seis pontos. O Sesi buscou diminuir a vantagem e voltar ao jogo, no entanto, os mineiros não permitiram reação do time vistante e seguiram com boa margem para fechar o set com Simon em 25/16.

A segunda parcial também começou com certo equilíbrio, mas quem conseguiu se desgarrar no marcador dessa vez foi o Sesi. Com ótimo momento de Alan, nas bolas e no bloqueio, o time de São Paulo abriu uma diferença importante. Com a pressão em cima, o Cruzeiro teve seu sistema de passes bagunçado e cedeu pontos de erros não-forçados, vendo a diferença chegar a sete pontos. Os mineiros ensaiaram uma reação, mas o Sesi fechou a porta e com Gustavão crescendo no jogo, caminhou para empatar com 25/17.

No terceiro set, os dois times perderam um pouco a eficiência no saque, o que fez com que ambos seguissem próximos no placar até o Sesi conseguir aproveitar a ansiedade do adversário e jogar no erro para abrir cinco pontos, já com 12/7. No entanto, embalado pela torcida, o Cruzeiro reagiu e buscou o empate, com Simon e, logo em seguida, virar com Evandro. A arrancada dos mineiros parece ter desestabilizado o time vermelho, que não conseguiu mais alcançar o placar e viu o adversário fechar em 25/22.

Jogando a vida no quarto set, o Sesi largou na frente, sacando bem e virando boas bolas, o time conseguiu manter uma vantagem. O Cruzeiro tentava não deixar o adversário se desgarrar no placar, até que conseguiu empatar em 16/16. O jogo, então, passou a ser de extremo equilíbrio, sem nenhum time conseguindo abrir dois pontos. Em final de set tenso, o Sesi se colocou à frente e se manteve vivo pelo ouro.

O set decisivo teve o Cruzeiro abrindo boa vantagem logo nas primeiras viradas de bola, com quatro pontos na frente. O Sesi aos poucos foi voltando à partida, com direito a polêmicas na arbitragem. A partir daí, foi igualdade e três match points desperdiçados pelo Sesi. Em seguida, o Cruzeiro também não aproveitou dois match points, até conseguir fechar o jogo com bola virada de Simon.

Fonte: Gazeta Esportiva

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente



Digite a palavra e tecle Enter.