Mulheres inteligentes

Mulheres inteligentes

Quando o edital de casamento é publicado no jornal, estamos às vésperas de um enlace, vestido de noiva na segunda prova, marcha nupcial escolhida. Gosto sempre de pensar que ele será realizado por amor – depois de uma espera cheia de planos e sonhos, entre brigas e beijinhos. Mas nem sempre é assim. Ainda fala alto a importância de se “arranjar um bom partido”, existem as uniões por conveniência, por necessidade de proteção, pelo desejo de sair de casa.


De qualquer forma, ao transpor a distância que nos leva até o altar - ou até o livro do Cartório - estaremos iniciando um novo tipo de vida, em que precisaremos ter a paciência de Madre Teresa, aliada ao espírito de renúncia de Maria. Tem início uma convivência com alguém que nasceu e cresceu em família totalmente diferente da nossa, com seus conceitos, superstições, crenças, hábitos, educação e cultura diferentes. A vida real.


Deveria existir um longo curso sobre a vida a dois. Testes , abordando preferências alimentares, preferências musicais de cada um, gosto por leitura, viagens, filhos, ambiente na hora do sono; atitudes diante do dinheiro, do sofrimento, da raiva, do ciúme, avaliação do grau de capricho ou desmazelo de ambos, grau de responsabilidade, reação diante de imprevistos. Sobre sexo não é necessário, quando se casam conhecem já os mínimos detalhes.


Sei que ainda se reprovados nesse curso, o coração bateria o martelo. Essa tal de paixão, movida pelos hormônios, é capaz de insistir até o último argumento quando duas pessoas determinam se juntar, mesmo que amigos, parentes, conhecidos, vizinhos e inimigos apontem dezenas de problemas que impedirão que aquele casamento dê certo.


Parece uma romântica obstinação. Parece. Mas quando temos 20 anos sabemos tudo, podemos tudo, enlouquecemos se alguém resolve nos alertar sobre alguma coisa que damos como certa. Aquele pequeno vício? Ah, aos poucos, estará no passado. A falta de ambição, a preguiça, que vem atrapalhando a permanência em todas as empresas em que ele tem trabalhado? Ah, serão contornadas, quando houver necessidade de manter a casa. As mentiras de hoje? Já não serão necessárias, visto que depois de casados, não haverá segredos. A linguagem áspera dará lugar ao diálogo carinhoso; a violência, despertada pelo ciúme deixará de existir com a certeza do seu amor. O céu espera pelos pombinhos... Sei, sei...


Para quem pensa assim, preciso contar um segredo: seu casamento está baseado numa grande ilusão. Apostar em alguém que se ama tem grande valor, mas acreditar que o amor vá transformar essa pessoa no seu imaginário romântico, é infantilidade. Porém, se todos os defeitos estão à frente dos seus olhos e você resolveu se embrenhar numa luta quase homicida, posso lhe dar idéia da confusão em que estará colocando seu livre arbítrio.


.Se você está se casando com um grande mentiroso, tenha certeza: ele jamais vai se regenerar. Tudo o que você lhe perguntar sobre dinheiro, amigos, trabalho, viagens, poderá ser respondido com uma grande mentira. Será a última a saber que ele está vendendo a casa, o sítio ou o carro, jamais conhecerá o real motivo daquele aquele amigo ter sumido de vocês, de aparecer aquela bolada, de repente, do motivo por que ele foi demitido do último emprego. Só ouvirá mentiras, porque é um vício que ele adota, mesmo que possa dizer a verdade. Para evitar sofrimentos e decepções maiores, pergunte pouco, aceite sua mentira, depois procure de algum modo não ofensivo a verdadeira resposta. Mas será que você aguenta isso?


. Se no namoro e noivado ele tem sido agressivo, chegando a ofendê-la em público e a humilhá-la por bobagens, fique atenta. Não são raros os casais que têm evoluído pela violência física até chegar ao cúmulo do assassinato. Num casamento assim, todo motivo é motivo para dar início a uma discussão traumática que leve a uma agressão verbal de grande proporção. Jamais se case com alguém assim, mas se se julga forte bastante para sustentar uma relação baseada na aspereza e selvageria, siga em frente. Passada a lua-de-mel ( ou nem isso) , você estará acordando e dormindo sempre amedrontada, e chegará a achar que é sua a culpa por estar sendo tratada daquele jeito. É isso que você quer?


.Se o seu amado bebe um pouco mais do que socialmente, preste atenção. A compulsão pela bebida não regride, a não ser com um longo tratamento . Ele passará a beber a cada dia mais, ficará com a turma de amigos pelos bares até a última cerveja, sem se lembrar do aniversário do caçula, do cinema combinado, do jantar com os amigos, naquele dia. Poderá até chegar em casa parecendo sóbrio, mas estará com a cabeça enevoada pelo álcool e isso cada vez com mais frequência. Inútil conversar, brigar, mostrar sua razão numa hora dessas, ele não tem capacidade de discernir. Parta sozinha o bolo do aniversário, desculpe-se com os amigos e, se suportar, vá depois se deitar ao lado de uma pessoa que cheira a álcool, e às vezes, nem mesmo conseguiu trocar a roupa de trabalho pelo pijama. Você acha isso agradável para um fim de noite?


Certa vez me ensinaram que um bom indício para saber se acharemos no parceiro um companheiro ideal é observar o relacionamento dele com sua família. Um homem que odeia a mãe, despreza o pai, é péssimo irmão, jamais poderá formar um casal de companheirismo e carinho. - Mas nós nos conhecemos há muitos anos – você dirá, como se não pudesse mais haver segredos de caráter. Ninguém conhece bem uma pessoa enquanto não convive com ela. É só a convivência que nos deixa ver que uma pessoa não tem capricho com suas coisas, não mantém uma higiene adequada consigo mesmo, tem pouca educação para se alimentar, nunca é prestativo, cúmplice, discreto, verdadeiro, respeitoso com as pessoas ao redor.


É preferível que você se case sabendo o que vai enfrentar, sem rodeio. Se na balança o peso dos predicados dele é muito superior aos defeitos, cabe, mesmo, uma aposta para saber se o amor vence a barreira que parece intransponível. Prepare-se, ou desista, como tantos já fizeram. Porque no ano da graça de 2016, por misericórdia, já somos mulheres inteligentes! E porque sair de um casamento, eu lhe garanto, amiga, é mil vezes mais difícil do que ingressar nele.


Longe de mim a intenção de dar conselhos. Estas linhas são, apenas, uma reflexão para ser feita por aquelas que até este momento ainda se encontram em dúvida sobre a vida em companhia de alguém que reúne uma série de diferenças na maneira de pensar, trabalhar, desfrutar dos momentos de lazer, investir o produto do trabalho. Não são questões que podem afetar aquelas que conhecem o conforto de um amor verdadeiro.


Penso que aquelas que analisaram as compatibilidades e diferenças existentes já iniciam numa posição privilegiada. Brigas, ciúmes, desentendimentos e raivas passarão com a rapidez com que chegaram , pequenas traições serão perdoadas, fracassos serão suportados e vitórias vividas sem inveja. E quando o amor apaixonado se for, uma grande amizade, a melhor amizade entre todas, preencherá o que no presente é esta grande paixão.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Cidade

Mais artigos

Política

Mais artigos

Economia

Mais artigos

Geral

Mais artigos

Cultura

Mais artigos