Governo de Minas Gerais vai acelerar abertura de empresas no estado

Governo de Minas Gerais vai acelerar abertura de empresas no estado

Abrir um negócio em território mineiro não é mais tarefa de alguns meses com idas e vindas a muitos órgãos. O Governo do Estado, por meio da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), está simplificando cada vez mais o processo, cujo tempo médio chega a sete dias, e em alguns casos, apenas três dias, após a implantação do registro digital.
A rapidez na abertura de empresas tem colocado Minas Gerais numa posição de vanguarda no Brasil. Contudo, para melhorar ainda mais a integração e o ambiente de empreendedorismo, a Jucemg e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) propõem levar o projeto Sala Mineira do Empreendedor a 300 cidades com a parceria das prefeituras municipais.
Para isso, esses parceiros se reúnem em Montes Claros (Território Norte), dia 29 de março, no “Encontro de Prefeitos”, com administradores de 85 cidades da região. É a primeira grande mobilização para mostrar aos novos gestores a importância de facilitar o desenvolvimento econômico e social com ações conjuntas, por meio da Sala Mineira do Empreendedor. Haverá no mesmo espaço todos os serviços da Jucemg e os produtos do Sebrae, capacitações e eventos.
Esse trabalho de facilitar a vida do cidadão que quer empreender se dá a partir da disposição do Governo Estadual e da assinatura do Termo de Cooperação Técnica que visa à implantação da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). Alguns territórios de desenvolvimento já têm Salas do Empreendedor em funcionamento: Alto Jequitinhonha (Diamantina), Oeste (Divinópolis), Caparaó (Ponte Nova) e Triângulo Sul (Uberaba).

CENTRALIZAÇÃO

As salas surgem para retirar obstáculos que dificultam a vida de quem empreende ou pretende empreender. Elas vão fornecer informações úteis ao empreendedor, serviços diferenciados e proporcionar maior rapidez na abertura de um novo negócio.
“As ações para registrar empresas no Brasil não priorizam o empreendedor, que precisa da liberação de órgãos como junta comercial, cartório, prefeitura e Corpo de Bombeiros. Enquanto esses trâmites não se resolvem, ele pode ficar meses pagando aluguel com as portas fechadas”, explicou o analista do Sebrae Minas, Cássio Duarte.
Com o novo alinhamento e cooperação técnica, a Sala Mineira do Empreendedor se torna realidade nos municípios com a parceria entre Jucemg, Sebrae Minas e as prefeituras. A Jucemg, entre outras responsabilidades, se encarregará de capacitar os servidores sobre registro empresarial.
O Sebrae Minas cuidará, por exemplo, da identidade visual e da gestão das Micro e Pequenas Empresas (MPEs). Já a prefeitura disponibilizará o espaço físico (preferencialmente do programa Minas Fácil) e os recursos humanos. A atuação nas Salas do Empreendedor será embasada em três pilares: orientações e informações, serviços e capacitação.

 

Agência Minas/Estadual

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro