QUE A LUZ QUE VEM DO ALTO BRILHE NO ANO NOVO

QUE A LUZ QUE VEM DO ALTO BRILHE NO ANO NOVO

No Natal encontramos a luz. Que ela ilumine todo o ano que vai começar!

Muitos vivem neste mundo em caminhos escuros ou obscuros, tateando na vida, sem saber de onde vieram e nem para onde irão. Perdem o rumo, desviam-se frequentemente de um objetivo para o qual valha à pena dar a vida. Muitos vivem nas trevas do ateísmo, do indiferentismo religioso ou, às vezes, até da irritação com aqueles que creem. Muitos não se libertam de si mesmos e veem-se embaraçados nos fios de seu egoísmo, tentando se valer inutilmente de sua própria e pobre luz.

Há uma só luz para a existência humana e ela vem do alto, como afirma São João Evangelista: “A luz brilhou nas trevas, mas as trevas não conseguiram dominá-la” (Jo 1, 5). Naquela noite iluminada por Cristo que nasce em Belém, todo ser humano é chamado a abrir-se e a expandir tal luz, pois a humanidade, em grande parte, tem necessidade premente de iluminação e de clareza sobre em que crer, o que viver e como agir. Por isso, Jesus nos pede e nos ensina que a luz da manjedoura de Belém brilhe em nós e reflita em todos os que encontrarmos na vida ou que conosco procurem praticar o bem e somente o bem. Assim afirmou: “Brilhe a vossa luz diante dos homens para que vejam vossas boas obras e deem glória a Deus” (Mt 5, 16.) A nossa luz não é própria. Somos como planetas e satélites que refletem a luz do Sol da Justiça, que é Deus mesmo.

Na noite do Natal, nas cercanias da cidade de Davi, Maria deu à luz a seu Filho primogênito (Lc 2, 7). Pastores que estavam por perto viram anjos que cantavam “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade” (Lc 2, 8). Foram envoltos em luz e um dos anjos lhes anunciou o nascimento do Menino: “Encontrareis um menino envolto em panos e deitado numa manjedoura” (Lc 2, 12). E eles atenderam ao aceno do Anjo e se dispuseram ir em busca do recém-nascido, que pelo anúncio angelical, souberam ser o Salvador do mundo (Lc 2, 11).

Muitos, ao contrário, resistem à luz, mas ela vencerá as trevas. Muitos, equivocadamente, por não terem a graça de crer, desejam impedir que ela ilumine, mas trata-se de algo impossível, pois ninguém a alcança para este fim. Porém, os que a recebem e passam a amá-la nunca mais se distanciarão dela. “Feliz és tu, porque acreditaste” (Lc 1, 45), disse Isabel a Maria. A fé ilumina a mente, o coração, a vida, o presente e o futuro.

Feliz de quem encontrou a luz! Sua vida será iluminada para sempre. Haverá de escutar da boca do mesmo Jesus que nasceu em Belém, quando já crescido começou a expandir sua luz: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8, 12).

A grande Luz, que é Jesus, acende para a humanidade outras claridades com seus sinais. Por isso o Profeta Isaias proclamou com antecedência: “O povo que andava nas trevas viu uma grande luz: para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu” (Is 9, 1 -6)

O que posso desejar-lhe de melhor, senão que a Luz que vem do alto brilhe em sua vida, em seus caminhos, em seus propósitos, em suas decisões durante todo o novo ano de 2017?!

Feliz Ano Novo!

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro