Santa Luzia e o Córrego Ipiranga

Santa Luzia e o Córrego Ipiranga

O bairro Santa Luzia tem origem na Fazenda Cachoeirinha. A fazenda tinha este nome por causa de uma queda d’água no córrego Ipiranga no final da Rua Ibitiguaia. Havia nela uma forte produção de café e cana de açúcar, e grande rebanho de gado leiteiro.


A fazenda pertenceu ao Coronel José Mário Villela. Mário Villela nasceu em São Vicente de Minas (MG), em 1874 e faleceu em Juiz de Fora em 1950. Cafeicultor, líder ruralista, empresário, investidor imobiliário, fundador do Centro de Lavradores Mineiros, também foi proprietário da Drogaria Vera Cruz.


Mário Villela foi responsável pelo parcelamento da Fazenda Cachoeirinha no início dos anos 40. As primeiras ruas ali ocupadas foram: Ibitiguaia, Chácara, Água Limpa, Porto das Flores, Três Ilhas e Torreões. Estes nomes foram dados em homenagem aos antigos distritos de Juiz de Fora. Coube ao então prefeito Dilermando Cruz dar estas denominações aos logradouros do bairro.


A Lei Municipal Nº 90, de 19 de novembro de 1948, assinada pelo prefeito Dilermando Cruz, alterou a denominação de Cachoeirinha para “Bairro Santa Luzia”, nome da paróquia local e tida pela tradição católica como a santa protetora dos olhos.

 

staluzia.jpg

 


A primeira foto revela como era a Rua Ibitiguaia nos anos 60 e trecho do córrego Ipiranga. A segunda foto é de 1970. Era o último ano do primeiro governo do prefeito Itamar Franco. O Córrego Ipiranga estava sendo canalizado. Observe, ao fundo a subida da Ibitiguaia em direção à Avenida Rio Branco.


Não conheço os autores das imagens.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro