Conheça Conservatória, destino ideal para os amantes da música

Conheça Conservatória, destino ideal para os amantes da música

No final de semana passado, fomos com um grupo à Conservatória, distrito de Valença, no estado do Rio de Janeiro, local caracterizado por suas Serestas e Serenatas. Lá, nos hospedados no Hotel Fazenda Vilarejo. Voltamos todos renovados, pois a cidade respira música; música de verdade e isso nos acalanta o coração, acalma a mente e dá uma certa leveza à vida!


O local é movido à música! No fim de semana, os seresteiros se reúnem para encantar os moradores e os visitantes. Mas a cidade, com suas bucólicas ruas de pedra, ainda oferece atrações como sobrados coloniais, uma antiga estação ferroviária, a Igreja Matriz de Santo Antonio e vários museus ligados à música. Além dos grandes hotéis-fazenda, possui rios, cachoeiras, trilhas e duas localidades pitorescas: a Serra da Beleza, ponto de curiosos por ETs, e o Túnel Que Chora, construído por escravos.


A tradição da seresta em Conservatória começou em 1938, quando um grupo de violeiros apaixonados saiu pela madrugada para cantar diante da janela de suas musas (naquele tempo as moças não podiam chegar às janelas, só piscavam as luzes para dizer que estavam ouvindo os cantores). A cantoria agradou não só às moças como a vila inteira. As serenatas embalam o distrito nas noites de sexta e sábado e nas manhãs de sábado e domingo, quando músicos e turistas saem pelas ruas cantando cantigas de amor e recitando poemas.
Durante o tour da cantoria, observe a Rua das Flores, onde a velha Maria Fumaça desativada lembra os tempos áureos do café. Durante a Serenoite, que acontece na Travessa Geralda Fonseca (Rua do Lazer), antes da Serenata, aprecie o cenário formado pelo Monumento ao Seresteiro, bancos e canteiros floridos cercados por bares e restaurantes.


A turma vai parando de porta em porta para cantar as músicas preferidas dos moradores - em Conservatória, as casas são identificadas não com placas numéricas, mas com o nome da canção preferida dos proprietários. O evento acontece o ano todo, mas duas datas são especiais: o último sábado de maio, quando se comemora o Dia do Seresteiro; e o último sábado de agosto, quando acontece o Encontro de Seresteiros, com artistas de diversas partes do Brasil.


Durante o dia, um dos programas preferidos dos turistas é passear de charrete para apreciar as construções, como a estação de trem de 1883, a Igreja Matriz de Santo Antônio e os espaços culturais dedicados à música. O Museu Vicente Celestino reúne fotos, discos e objetos pessoais do cantor e também de sua mulher, a cantora lírica, cineasta e escritora Gilda de Abreu. Já no Museu Silvio Caldas, Gilberto Alves, Nelson Gonçalves e Guilherme de Brito, as fotos, os discos e objetos pessoais dos artistas contam um pouquinho da carreira de cada um.
Pela manhã, também um excelente programa é a Solarata, encontro musical matinal. É um neologismo que surgiu para dar nome a uma manifestação musical iniciada em 2001. Naquele ano, um empresário local planejou a realização de um encontro musical nas manhãs de domingo, que deu muito certo, pois até hoje é concorrido!


Para quem aprecia um bom chorinho, em Conservatória o Instituto Waldir Azevedo, grande mestre do Cavaquinho, abre suas portas todos os sábados a partir das 17h para um evento chamado “Chá das 5”. O Salão tem suas mesas preparadas para o tradicional chá. Os lugares estão à venda, pois no mesmo horário acontece um show de Ronaldinho do Cavaquinho e convidados, que revivem grandes clássicos de nossa música brasileira, principalmente sucessos de Waldir Azevedo.


As fazendas de café da região também garantem a viagem ao passado. Algumas estão preservadas e são abertas à visitação. É o caso da Fazenda Florença, de 1852, que mantém o elegante mobiliário de época, além de piso de peroba rosa, porcelanas e cristais.

 

ARTE LOCAL


Antes de voltar para casa e para o tempo real, vale circular pelo comércio. Merece atenção o artesanato típico, à base de papel Kraft. São casos de flores, imagens de santos barrocos e estátuas de violeiros que mais parecem de madeira. São interessantes e lindos. Na feirinha da Praça Catarina Quaglia, que acontece todo sábado e domingo, o forte são os xales e chapéus de crochê, o doce de goiabada cascão e os licores caseiros. São muitas as lojas de artesanato.


A rede hoteleira da cidade é excelente: pousadas, hotéis e hotéis fazenda. Também se destacam os restaurantes e bares, o que não poderia ser diferente, sempre com muita música que, após a serenata, entra pela madrugada.


Destaco o Hotel Fazenda Vilarejo, que está entre os maiores hotéis fazenda do Brasil. São 114 apartamentos com capacidade para 340 hóspedes e um atendimento fantástico, onde todos ficam satisfeitos. Este ano o estabelecimento está comemorando 35 anos de atividades. O Grupo Vilarejo é formado, ainda, pelo Hotel Acalanto, também em Conservatória. Tudo que se produz na Fazenda Vilarejo é consumido em seus hotéis e o lugar ainda possui a Cachaçaria que produz uma bebida orgânica tipo exportação, além de licores, rapaduras e outros derivados da cana, também cultivados de forma orgânica. Na fazenda, o visitante ainda pode andar a cavalo, as crianças conhecem a prática da ordenha e tem muito com o que se divertir. É um lugar incrível para se visitar!


Na Casa Velha, uma empresa do Grupo, o turista encontra uma variedade de presentes, artesanatos e produtos da roça.


Conservatória é tudo de bom para quem curte música popular brasileira, para famílias com crianças, para quem gosta de caminhadas ou simplesmente para descansar e comer bem. Fica a duas horas e meia de Juiz de Fora e vale muito a pena para passar um final de semana.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro