Catas Altas reúne destinos turísticos de religião e aventura

Catas Altas reúne destinos turísticos de religião e aventura

Catas Altas, assim como vários outros municípios de Minas Gerais, não foge à regra, sendo um ótimo destino para quem deseja aproveitar um dia, um fim de semana ou mesmo um feriadão, como o que está próximo, para ‘relax’.


Situada na Serra do Caraça, localiza-se no caminho entre Santa Bárbara e Mariana, tendo o imponente Pico do Horizonte como paisagem permanente para os que andam por suas ruas de pedra. O município nasceu junto com o ciclo da mineração, no início do século XVIII. Daí a origem do seu nome Catas (minas) Altas (em referência formação serrana).


As casas coloniais na área central da cidade são bem preservadas, criando uma atmosfera bastante acolhedora para o visitante, que pode usufruir de ótimos bares, restaurantes e opções de hospedagem. Como não poderia faltar numa boa cidade histórica mineira, há os destaques da arquitetura da cidade.


A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, com elementos arquitetônicos raros, é um presente para os interessados na arquitetura colonial, já que é possível ver, na nave, uma sucessão de camadas e etapas de construção de uma igreja, em sequência, já que ela é inacabada. A edificação com suas torres de pontas sinuosas domina a paisagem e é o principal cartão-postal da cidade. Ricamente ornamentada e datada de 1739, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição é certamente uma das mais interessantes do período colonial mineiro.


Já a Igreja de Santa Quitéria é um dos mais famosos ícones da arte colonial mineira. Seu altar-mor exibe a imagem de Nossa Senhora do Carmo, mas inicialmente a igreja era devotada à Santa Quitéria, o que faz com que tenha dupla denominação. Construída no século XVIII, tem em seu altar principal madeira trabalhada em motivos florais e anjos. O conjunto no entorno da construção, de torre única, erguida de costas para o Pico do Horizonte e ao lado de um cruzeiro de madeira, forma um dos cartões-postais mais conhecidos de Minas.


Mais simples, a Igreja do Rosário foi construída no fim do século XVIII e início do século XIX. Apesar de seu exterior não chamar tanto a atenção, seu interior tem um altar-mor com talha em estilo Dom João V e o teto pintado em tons de vermelho e marrom bem escuro. Se o plano é relaxar na calmaria da cidade, vale a visita.

 

RELIGIÃO E AVENTURA


A Bicame de Pedra, são ruínas de um aqueduto de pedras, construído pelos escravos em 1792, com 100 metros de extensão. É possível subir por uma escada lateral e caminhar pelo seu topo. Fica a 12 km do centro de Catas Altas, mas vale a visita.


No distrito de Morro d’Água Quente, a 6 km do centro, além da típica hospitalidade, a Capela do Nosso Senhor do Bonfim, em estilo barroco do final do século XVIII, completa o cenário.


Cachoeira bastante visitada é a do Maquiné. Ela pode ser avistada do Centro Histórico de Catas Altas e tem duas quedas. A primeira tem cerca de 60 metros de altura e quatro saltos que formam pequenos poços. A segunda tem 25 metros de altura. O acesso não é sinalizado e apresenta grau alto de dificuldade. Ou seja, exige bom preparo físico e experiência em trilhas.


O Santuário do Caraça é o que mais movimenta o turismo na região, que faz parte da Reserva Particular do Patrimônio Natural do Caraça, um dos mais importantes do país e maior unidade de conservação particular do estado. Com trilhas para várias atrações, como cachoeiras, mirantes, piscinas naturais, antigas construções, grutas e picos (alguns só podem ser visitados com o acompanhamento de guias), o Santuário do Caraça oferece uma série de aventuras para seus visitantes. A lista de cachoeiras, rios, picos e mirantes do lugar é extensa.


Além dos atrativos naturais, o Caraça, como é conhecido o santuário, é um centro de espiritualidade, cultura e educação. A instituição católica é uma das sete maravilhas da Estrada Real e patrimônio federal, estadual e municipal.

 

ESTRUTURA COMPLETA


O Centro da cidade de Catas Altas conta com toda a estrutura para atender o turista, como pousada, restaurante, lanchonete e loja. No conjunto arquitetônico, Igreja neogótica, o prédio do antigo colégio (hoje museu e biblioteca) e pousada. Na área de manejo estão localizadas a Fazenda do Engenho, o Buraco da Boiada e a Fazenda do Capivari, também abertos à visitação. Para os mais sortudos, a visita dos famosos e ameaçados de extinção lobos-guará é um espetáculo à parte.


A distância entre Juiz de Fora e Catas Altas é de 283 km, aproximadamente quatro horas de viagem. Se é para relaxar afastando-se do burburinho do dia a dia no próximo feriado, o destino é Catas Altas e o Santuário do Caraça.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro