Cidades próximas de JF são opção de destino mais econômico

Cidades próximas de JF são opção de destino mais econômico

As festas acabaram e agora chegaram as férias. Esse ano, com a recessão, que a maioria de nós estamos vivendo, a pedida é viajar para destinos mais em conta e mais perto de nossa cidade. Abaixo algumas dicas de lugares acessíveis para que toda a família possa aproveitar.

MONTE VERDE


É um lugar lindo durante o ano todo. Altas montanhas, vegetação verdejante, pinheiros, eucaliptos e enorme variedade de flores exóticas fazem da região um verdadeiro paraíso para os turistas. É um destino já caracterizado para o inverno, porém no verão se transforma em reduto para quem quer tranqüilidade e esportes radicais também nas férias de janeiro. No verão tem dias quentes e noites levemente frias, com temperaturas agradáveis. Dorme-se de cobertor e com a lareira acesa. Nada daquelas noites insuportavelmente quentes, durante as quais recebemos visitas de incômodos pernilongos.


Esse clima ameno contribui para caminhadas pela Serra da Mantiqueira sem o cansaço conseqüente do calor intenso, e ainda com uma leve brisa que alivia bastante os trajetos mais difíceis. A trilha mais percorrida pelos turistas é a que segue até a Pedra Redonda, com quase dois mil metros de atitude.


Outro importante atrativo para as férias de verão em Monte Verde são os preços. Essa época é considerada de baixa temporada, o que representa preços de diárias pelo menos 30% abaixo dos preços cobrados no inverno. As pousadas costumam fechar pacotes de três dias a uma semana, e atrações como passeio a cavalo, piscinas (muitas cobertas por causa do clima fresco), quadras esportivas, áreas de lazer para as crianças (principalmente para famílias que viajam com os filhos nas férias), terapias alternativas e até pista de patinação no gelo.


O distrito tem ainda uma fazenda onde é possível percorrer trilhas de até 10 km com quadriciclos, e a lama que se acumula com as chuvas de verão dão um toque especial aos mais aventureiros. Na Mega Tirolesa, a emoção está em “sobrevoar” 925 metros de ida e volta sobre os pinheiros de Monte Verde, a uma altura de 65 a 75 metros de altura, ida e volta respectivamente. Há ainda escalada e circuito de arvorismo de 110 metros.

CARRANCAS


Quando se vislumbra da estrada a pequena cidade de Carrancas, sozinha entre as imponentes formações rochosas da Mantiqueira, a sensação é a de ter descoberto um verdadeiro tesouro. A tranqüilidade e o silêncio do local só são interrompidos pelas músicas da Matriz de Nossa Senhora da Conceição ou pelo motor dos carros nos fins de semana, quando chegam os turistas em busca de belas paisagens naturais. Carrancas se tornou famosa pela quantidade de cachoeiras: são mais de 70. Entre os atrativos mais famosos estão o Complexo da Zilda e o complexo do Parque da Fumaça.


A cidade, no entanto, não se resume à natureza. Uma opção de visita é a Estação Carrancas (a 20 km da cidade), que mostra um pouco da história da antiga Estrada de Ferro do Oeste de Minas, que começou a ser construída em 1888.

CLARAVAL


Na pequena cidade de Claraval, com quase cinco mil habitantes, fica um dos destinos mais ligados à espiritualidade no Sul de Minas. O Mosteiro Nossa Senhora do Divino Espírito Santo, que ficou conhecido como Mosteiro de Claraval, foi fundado por monges italianos no início da década de 50 e reúne fiéis durante todo o ano. O local conta ainda com a Casa do Reino São José, que oferece palestras, debates e estudos religiosos. Além disso, há também uma loja que conta com produtos fabricados no próprio mosteiro, como licores, padaria e diversos outros itens. As visitas podem ser feitas diariamente, das 8h às 11h e das 13h às 18h. Já a Casa de Retiro tem capacidade para até 120 pessoas, em grupos ou visitas individuais. A hospedagem precisa ser marcada antecipadamente.

AIURUOCA


O ecoturismo é a vocação da cidade. Cercada por uma natureza exuberante e por mais de 80 cachoeiras e ribeirões, não havia mesmo como ser diferente. Em tupi-guarani, o nome da cidade significa casa (oca) do papagaio (Ajuru). Não à toa, Aiuruoca compõe, junto a outros quatro municípios (Alagoa, Itamonte, Pouso Alto e Baependi), o Parque Estadual Serra do Papagaio, que concentra atrações como as cachoeiras do Tombo, dos Garcias e das Fadas. Rafting, tirolesa, canoagem e trekking são algumas das atividades oferecidas aos turistas. Também vale a pena conhecer o Vale do Matutu, bairro da área rural de Aiuruoca que integra o circuito Montanhas Mágicas da Mantiqueira.


Quem busca espiritualidade, também é no Vale do Matutu que pode se hospedar. A comunidade oferece alimentação vegetariana e culinária mineira. No local, é possível visitar quatro cachoeiras, além de trilhas de bicicleta e a cavalo, arvorismo, terapias alternativas e massagens.

GUAPÉ


O Parque Ecológico do Paredão fica em Guapé e também é uma opção para quem busca umas férias mais perto da natureza. São três cachoeiras, paredões para escalada e rapel, trilhas e piscinas naturais.


A cidade conta com diversos tipos de hotéis e pousadas para quem busca mais conforto, mas o parque também oferece um camping bem estruturado, com pontos de energia elétrica, banheiros, quiosques com diferentes faixas de preço para utilização e um restaurante aberto aos visitantes.

EXTREMA


Fica no ponto mais ao sul de Minas Gerais, na divisa com São Paulo, daí o nome da cidade, marcada pela paisagem da Serra da Mantiqueira. Em 2015, recebeu o título de “a melhor cidade do Brasil” em uma pesquisa que avalia condições de saúde, emprego e renda em todo o país. Hoje é uma boa opção para quem pretende fazer turismo de aventura ou turismo rural, com atividades como rafting, rapel e cavalgadas.


Os roteiros da cidade são divididos em cinco rotas, que têm como símbolo A Rosa dos Ventos. A Rota das Águas leva ao Parque Municipal da Cachoeira do Salto e ao Pico do Lobo Guará, área bastante freqüentada para quem quer fazer vôos livres. Na Prainha, há tanque de tilápias para quem gosta de pescar e um restaurante para aproveitar a culinária mineira.


A Rota das Rosas leva ao Parque Municipal da Cachoeira do Jaguari. Gratuito e com entrada permitida a animais, o parque é também destino para os praticantes de rafting. O roteiro tem ainda diversos tipos de artesanatos, restaurantes, lanchonetes, hotéis e pousadas, e o Santuário de Santa Rita de Extrema, onde se encontram 30 obras em latão martelado de Alfredo Mucci.
Nas Rotas da Pedra e do Sol, o visitante tem a oportunidade de conhecer outros tipos de paisagem e desfrutar de variados serviços oferecidos pelo caminho: restaurantes e pousadas. Na Rota dos Ventos, as pedras gigantes e o Parque Ecológico do Pico dos Cabritos são os atrativos, especialmente par a prática de rapel, trilha e voo livre.

 

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro