Viagens para Orlando exigem planejamento

Viagens para Orlando exigem planejamento

Algumas dicas de como preparar uma viagem a Orlando. Com constantes expansões e renovações – e nada menos que 66 milhões de visitantes anuais, Orlando, nos Estados Unidos, virou um destino complexo que exige certo planejamento. Por isso, algumas orientações e dicas são necessárias para quem deseja preparar uma viagem até lá.

ÉPOCA


As orientações essenciais para começar a pensar a ida estão relacionadas aos seguintes questionamentos: como comprar os ingressos? Onde me hospedar? Devo alugar um carro? Com que idade os pequenos aproveitam mais? Qual é a melhor época para ir? Orlando é bom o ano todo, mas nós brasileiros temos os nossos meses de preferência de acordo com as nossas datas.
Janeiro é mês de férias, e os parques ficam mais tranqüilos, passado o furor da época de Ano Novo, depois do dia 5. Mas os parques voltam a encher no feriado em honra de Martin Luther King, na terceira segunda-feira do mês. Dá para aproveitar ofertas nas lojas e outlets queimando o estoque de Natal e as roupas de inverno.


Julho também é um mês de férias. É preciso paciência para viajar nessa época: parques e shoppings cheios, diárias caras, calor excruciante, risco de tempestades. Em 4 de julho, Dia da Independência, há shows de fogos e algumas lojas fazem promoções.


Em Outubro, a temperatura é aprazível (apesar do friozinho à noite), e a probabilidade de chover diminui consideravelmente. Atente para uma lotação maior nos dias próximos ao feriado de Columbus Day, na segunda segunda-feira do mês, e na “semana do saco cheio”, Dia das Crianças aqui no Brasil. Dá para aproveitar os eventos especiais de Halloween nos parques.

COMPRA DE INGRESSOS


Qual é o melhor esquema para a compra de ingressos? O site de cada complexo vende os ingressos. Comprando com agentes de viagens credenciados no Brasil, é possível conseguir descontos e ainda parcelar no cartão sem os temidos 6,38% de IOF. Se fizer essa escolha, compare com o preço oficial para ver a cotação do dólar que está sendo usada e verifique antes de comprar se eles já vão lhe dar o ingresso na mão, se vão mandá-lo para o seu hotel em Orlando ou se você vai receber um voucher e precisará trocá-lo por lá.


Como funcionam os Fura-Filas? Uma das maneiras de otimizar o tempo nos parques é comprando os passes que evitam as filas. Principalmente para quem tem poucos dias. O FastPass+ da Disney é grátis e permite que você agende um horário em uma determinada atração (seja ela um dos brinquedos, um show ou meso um encontro com personagens) 60 dias antes para quem fica nos hotéis do complexo Disney e 30 dias para os demais. É só se cadastrar no My Disney Experience ou ir até um dos quiosques FastPass+ espalhados pelos parques. É interessante para programar a sua visita às atrações mais concorridas. Nos parques da Universal, o Express Pass tem duas versões: uma que dá direito de furar a fila quantas vezes quiser num mesmo brinquedo e outra que permite entrar mais rápido uma vez em determinadas atrações. Para aproveitar ao máximo às montanhas-russas do SeaWorld se pode adquirir o Quick Queue.

TRANSPORTE


É preciso alugar um carro? Alugar um veículo é uma alternativa prática para circular com liberdade por uma cidade como Orlando, em que as atrações ficam distantes umas das outras – só lembre que você vai ter de pagar estacionamento dentro dos parques (por volta de U$15). Só não vale a pena se você tiver adquirido um pacote com traslados (para os parques, shoppings e outros passeios) ou se estiver numa primeira viagem e for se hospedar dentro da Disney, que disponibiliza transporte gratuito no interior do complexo.


A idade ideal para ir com crianças é a partir dos 12 anos, porque elas aproveitarão mais, a garotada aqui já pode radicalizar e ir às montanhas-russas mais velozes de Orlando, como a Incredible Hulk Coaster, no Island of Adventures, e a Sheikra, no Bush Gardens. Se eles quiserem ir de novo e de novo (e você não estiver com pique para acompanhar), use o serviço Single Rider, a fila onde quem estiver sozinho pode passar na frente. Claro que há infraestrutura para crianças a partir de um ano.

HOSPEDAGEM


Pipocar pelos parques e shoppings de Orlando deixa os dias bastante cansativos, por isso, é importante ter um lugar confortável para usufruir boas noites de sono. Mas dentro ou fora dos parques? Em hotel ou casa alugada?


Dentro do complexo Disney – são 35 resorts com o selo do Mickey. Os hotéis normalmente têm boa estrutura com piscina e playground, temas fofinhos na decoração e encontros com personagens. Quem fica neles também tem direito às Disney Magic Hours, e pode entrar uma hora mais cedo nos parque e sair duas horas depois do fechamento. A Disney oferece transporte grátis desde o aeroporto até os seus hotéis e entre os seus parques – quem está de carro alugado também não paga para usar estacionamento neles. Compras feitas no complexo podem ser entregues direto no seu hotel.


Na Universal são apenas cinco opções de hotéis. O melhor benefício é ter de graça o Universal Express Unlimited (oferecido em apenas três dos hotéis), o fura-filas ilimitado. Também há transporte gratuito para os parques, entrega de compras e entrada antecipada no The Wizarding World of Harry Potter uma hora antes da abertura normal do parque. O aluguel de casas de temporada ganhou o mundo, e em Orlando o sistema se fortaleceu e virou a primeira opção de muita gente. Aqui são muito populares as casas dentro de condomínios, que são espaçosas e ainda contam com áreas comuns com piscinas e quadras. Para quem vai em grupo ou quer passar temporadas mais longas, elas são sem dúvida a opção mais econômica. Fora dos complexos a hotelaria em Orlando é muito variada.


São 15 parques no total, a escolha vai variar com os seus interesses: se houver crianças menores, pode-se priorizar aqueles mas lúdicos; já aqueles com adolescentes preferem os mais radicais. Se for verão, sempre vale encaixar um parque aquático. Fora dos parques há centro espacial, roda-gigante, passeio de balão e, sim, mais parques. Orlando cresce em um ritmo acelerado e recebe cada vez mais adições interessantes.

SEA WORLD


Para os amantes de adrenalina, o Sea World Parks inaugurou duas atrações este ano em seus parques. No SeaWorld temos a Mako, enquanto no Busch Gardens encontraremos a nova Cobra’s Curse. Altura, velocidade e muita diversão te esperam nessas novas atrações.


Desde o verão americano deste ano, o Sea World tem o recorde da mais rápida, longa e alta montanha russa da cidade. Com 61 m de altura, o equivalente a um prédio de 23 andares e 1,4 km de extensão, a Mako alcança uma velocidade de 118 km/h. São três minutos de muita diversão e adrenalina na beira do lago do parque. É de tirar o fôlego. Os engenheiros responsáveis por trás da atração afirmaram que existem nove pontos específicos em que a força gravitacional chega a zero. Haja coração! O nome da atração foi em homenagem ao mais rápido tubarão do mundo e muito conhecido por mudar de direção rapidamente.


A atração fará parte da futura área temática do parque, onde os visitantes aprenderão sobre a importância destes animais para o meio ambiente. Serão 8 mil m² em que você se sentirá como parte de um grupo de tubarões, em meio a um arrecife formado em um naufrágio. Contará com lojas de souvenir, esculturas e locais de experiências educacionais.


Inaugurada este ano no parque Busch Gardens, a Cobra's Curse é uma montanha russa bem diferente das que conhecemos, Começando por sua subida totalmente incomum, feita por um elevador que te deixa cara a cara com uma cobra de 24 m de altura. Além disso, seu carrinho conta com uma tecnologia que permite que este mude de direção durante o percurso. A adrenalina está garantida nesta atração que te levará a descobrir os mistérios de uma escavação arqueológica egípcia.
Tem ou não tem que ter planejamento para visitar a terra da magia ?