Eu aceito

Olá, tudo bem?

Estou escrevendo para você porque queria te falar que aceito qualquer coisa que você quiser. Pode pensar no que você quer que eu estou aqui para você. Se quiser nome de homem, tudo bem. Se quiser nome de mulher, ou misturar os nomes, por mim tudo bem também. Um cachorro é bom para você? Um gato? O animal que você quiser. O desenho que você souber fazer, e o que não souber também.

Aceito texto de tudo que é maneira. Pode ser trova se você gostar. Pode ser poesia, letra de música. Você é quem manda, eu quem aceito. Que tal uma declaração de amor com um pedido de casamento no final? Ou então um pedido de desculpas caso você se arrependa de alguma coisa.

Um castelo com cinco ou seis retas? Um sol brilhando e nuvens de algodão doce. Eu gosto muito do que você gosta. Eu aceito o seu gosto e estou aqui para te servir.

Flecha de cúpido deixando um furo em coração. Reproduzo uma canção do Cazuza que fale de ideologia. Cito uma poesia inteira de Carlos Drummond de Andrade, ou de Cecília Meireles, ou de Ivan Daibert.

Tinta colorida eu aceito também. Caneta, lápis, giz de cera pastel. Um cavalo com asas carregando uma princesa indefesa fugindo de um dragão que cospe fogo. Roteiro de um príncipe rufião de José Luiz Ribeiro.

Aceito tudo que o que você quiser, abuse de mim.

Muito prazer, eu sou o papel.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro