Telefonema

Telefonema

O telefone fixo do Sandro toca na madrugada de sábado para domingo. Ele levanta assustado para atender e do outro lado da linha uma vóz feminina pergunta:

- Bom dia, por acaso o senhor teria sapato número trinta e cinco de salto baixo para vender?

- Minha senhora, – responde Sandro – você ligou para o número errado.

Ele desliga o telefone e volta a dormir.

Meia hora depois o telefone toca novamente. Ele atende. Um senhor do outro lado fala:

- Bom dia senhor! Preciso de dois pares de sapato de couro italiano, número quarenta, para hoje à noite.

Sandro acha que é trote, fala um palavrão e desliga o telefone.

Enquanto toma café da manhã ele recebe outra ligação pedindo sapatos. Fica com raiva, manda a pessoa procurar um serviço e desliga o aparelho.

Durante todo o dia o telefone dele toca com encomendas. Ele começa a achar que seu número está cadastrado em algum lugar de forma errada.

No começo da noite outro telefonema, ele já está com a resposta na ponta da língua.

- Por favor, gostaria de um par de sapatos femininos de cor branca, o senhor tem em estoque?

- Desculpa moça, mas hoje me ligaram o dia todo pedindo sapatos. Algum lugar deu meu telefone equivocadamente. Não vendo sapatos.

Sandro desliga o telefone da tomada, não quer mais saber daquelas ligações.

Um pouco antes da hora de dormir a campainha toca. Ao atender ele se depara com uma moça segurando uma pasta.

- Boa noite senhor, sou representante de uma fábrica de sapatos de Ubá, o senhor não gostaria de ser nosso distribuidor aqui na região? A comissão é muito boa.

Ela apresenta um folder onde continha o número do telefone de Sandro.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro