6 dicas de decoração para quartos infantis

6 dicas de decoração para quartos infantis

 cabecalho arquitetura
Recentemente tive a felicidade de desenvolver alguns projetos de quartos para bebês e crianças.

No primeiro caso, a grande dificuldade foi entender o pedido direto de nosso cliente alvo, os bebês.

Eram muitos “gugus, gagás” e sorrisos banguelas mas que não funcionavam para captarmos o que queriam de fato com o projeto.

Por isso, nesses casos, lançamos mão de intérpretes habilitados, seus respectivos pais e mães, que traduziram as necessidades arquitetônicas do pimpolho.

No caso das crianças, esses já tinham a opinião formada sobre o que queriam e conseguiam expressá-la de forma mais clara.

Uma delas chegou a responder com convicção sobre o que gostaria de ter em seu quarto:

– Um lugar para colocar um pônei! (ainda não tinha esse pônei mas queria que deixássemos o espaço reservado para quando eventualmente ganhasse)

Por fim, pegamos um projeto em que o pai era mais empolgado do que as próprias crianças: queria uma barra “daquelas que bombeiro usa” para descer de um andar para o outro. Nesse caso precisamos pedir intervenção da esposa.

A construção de um espaço lúdico é fundamental para o bom desenvolvimento da criança e são vários os estilos possíveis para atender às demandas desses pequenos e de suas respectivas famílias.

Acompanhe, aqui, seis dicas para a decoração de quartos infantis. Inspiradas em cima dessas e outras experiências surreais.

01
Cores

A grande sugestão aqui é trabalhar com as cores primárias (azul, amarelo e vermelho) em tons bebê. Cores saturadas geram excesso de estímulo e se tornam cansativas. Peças e objetos de decoração podem criar o contraste e são, normalmente trocados com a mudança de idade e interesse das crianças.

02
Papel de parede: coringa da decoração
Papeis de parede são versáteis, fáceis de instalar e dão um toque alegre nos quartos
Para evitar problemas de alergia, deve-se dar preferência aos laváveis, sem tranças e nem texturas.

03
Quarto montessoriano
Esse espaço é pensado para as crianças e não para os adultos, onde precisa haver segurança, mas, também, liberdade.
Os ambientes devem ser ricos e estimulantes, permitindo o máximo de autonomia aos pequeninos. Aqui os brinquedos devem ficar sempre alcançáveis, o berço substituído por colchão ou uma cama baixa e espaço livre para brincadeiras é fundamental...

04
Cantinho de estudo

Içami Tiba sugere que esse espaço deve ser compartilhado entre toda a família, entretanto, se sua casa não permite um espaço exclusivo, fazê-lo dentro dos quartos é um bom recurso. Deve-se evitar excesso de informações visuais para não prejudicar a concentração.

05
Cabaninhas

Quem nunca brincou de fazer cabaninhas improvisadas com lençois que atire a primeira mamadeira. Esse é o verdadeiro sonho infantil da “casa própria”. Atualmente podemos encontrar prontas com vários tamanhos e modelos.

06
Berços e trocadores

Um dos piores momentos no cotidiano dos pais é a hora da troca de fraldas. Por outro lado, alguns dizem que na lista dos melhores momentos é quando os “anjinhos” estão dormindo.
A escolha do berço e do trocador merece atenção especial, além do aspecto estético, pois esses dois móveis podem representar riscos: asfixia, quedas, luxações...

prop

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro