Novos reitores falam sobre planos de gestão e mudanças na universidade

Novos reitores falam sobre planos de gestão e mudanças na universidade

Na última sexta-feira, 12, os recém-eleitos reitores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Marcus David, como reitor, e Girlene Silva, como vice-reitora, debateram no programa Mesa de Debates, da TVE-JF, sobre planos para a gestão e as mudanças que serão implantadas na universidade.
Eles foram eleitos no segundo turno das eleições com 57,2% dos votos totais, representando a Chapa 1, “Reconstruir a UFJF”. No primeiro turno, conquistaram 42,75% dos votos. O início das consultas à comunidade universitária começou em dezembro de 2015 após a renúncia do até então reitor Julio Chebli. As eleições tiveram três chapas inscritas.
Marcus David, que é doutor em Administração pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), falou sobre como a crise econômica no país afeta a universidade e os passos necessários para reconstruir a instituição. “Temos pleno conhecimento da crise que o Brasil vive, e essa crise obviamente traz reflexos muito fortes para a universidade. O primeiro passo fundamental é um profundo diagnóstico da situação que nós vivemos, tanto da situação financeira, mas também sobre o atual estágio das obras inacabadas, o que efetivamente tem impossibilitado sua continuidade, porque temos causas diferentes dessa interrupção, como obras interrompidas por problemas de irregularidade notificados por órgãos como CGU [Controladoria Geral da União] e TCU [Tribunal de Contas da União], e até mesmo obras interrompidas em função de problemas de projeto”.
A vice-reitora Girlene Silva reiterou que o processo de transição não deve parar a universidade, e que se dará de forma ordenada. “Primeiro o nosso compromisso é não parar a universidade. Nesse sentido, a equipe que vai fazer a transição tem tranquilidade que a universidade não deve parar nessa perspectiva de entender o que está acontecendo”, disse Girlene Alves.
Marcus David deixou claro que a transparência com a comunidade universitária será um dos princípios importantes da nova gestão. “Dentre os princípios que nortearam essa proposta, um princípio muito importante é de garantir muita transparência e espaço de participação nas decisões. Quando propomos transparência, a intenção é justamente restabelecer uma relação de confiança com a comunidade. Quando temos uma reitoria que mostra a real situação de forma clara, muito precisa para toda a comunidade, conseguimos restabelecer uma relação de confiança com a comunidade”.
Ele também falou sobre a proposta para a assistência estudantil, que visa dar mais participação aos estudantes nas discussões sobre gestão dos recursos. “Soma-se a isso, um envolvimento que eles vão ter não só da reitoria, mas do Conselho Superior da universidade, da importância de termos política que garantam a importância dos estudantes na nossa universidade”, completa o novo reitor.
Questionado sobre as obras paradas no Hospital Universitário, Marcus David destacou que, juntamente ao Campus de Governador Valadares, são os maiores desafios da gestão. “No caso do Hospital Universitário, já foram investidos quase R$200 milhões naquela obra, e já estamos em um estágio de um cronograma físico que se aproxima de metade da execução real”.
Ao finalizar o programa, Marcus David falou sobre a importância da Universidade Federal de Juiz de Fora para a sua região, presença essa que colabora para o desenvolvimento da região.
“Entendemos o Parque Tecnológico como instrumento importante para que a universidade possa alavancar. Recentemente, no mês de janeiro, foi sancionada a nova Lei de Inovação, que traz oportunidades muito grandes para que os centros de pesquisas possam transformar suas pesquisas e tecnologias desenvolvidas internamente em inovações que possam ter impacto e desenvolvimento econômico. Então temos um momento, em que, apesar de toda a dificuldade da crise, existem também janelas de oportunidade importantes para a universidade”.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro