Polícia Civil prende autores de assalto a donos de restaurante no São Pedro

Polícia Civil prende autores de assalto a donos de restaurante no São Pedro

A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, da Polícia Civil (PC), prendeu dois homens, de 23 e 24 anos, suspeitos de assaltar um restaurante no bairro São Pedro, Cidade Alta. O crime aconteceu na madrugada de quarta-feira, 9, e os autores foram detidos cerca de 12 horas após a ação.
Os homens foram presos no bairro São Benedito, zona Leste, após assaltarem um homem e uma mulher em um posto de combustíveis. As vítimas são donas de um restaurante nas proximidades do crime. Um carro, uma motocicleta e uma réplica de pistola foram apreendidos.
    Segundo a delegada Sheila de Oliveira, os suspeitos foram presos porque estavam utilizando o mesmo veículo usado no crime. “A Delegacia de Roubos suspeita da participação dos autores em vários assaltos a estabelecimentos comerciais na cidade. Na quarta-feira, eles foram presos em flagrante após assaltarem os empresários que estariam estacionando seu veículo em um posto de gasolina próximo ao estabelecimento comercial onde são proprietários, no São Pedro”.
    A prisão aconteceu cerca de 12 horas após a ação. “Após o roubo, a vítima entrou em contato com a polícia, e por meio do trabalho de inteligência, os investigadores conseguiram chegar aos autores, assim como a todo o material subtraído”.
    Também foi comprovado, por meio de investigações, que o homem de 24 anos teria participado no roubo de uma lanchonete no bairro São Mateus, em setembro deste ano. Na ocasião, dois homens assaltaram o estabelecimento e roubaram cerca de R$8 mil. Segundo a delegada, o homem confessou que portava uma submetralhadora e que teria alugado a arma de um traficante por R$2.400.
“O assalto da lanchonete foi divulgado em redes sociais, e foi verificado que o autor portava uma submetralhadora nessa ação. Ele já confessou que a arma é original e verdadeira, mas que não foi usada no assalto ao restaurante”.
    A delegada da PC destacou que um dos autores era funcionário temporário do restaurante, e que teria repassado as informações para facilitar o crime. A situação, segundo Sheila, tem sido recorrente na cidade. A suspeita é de que o assalto à lanchonete e um assalto a uma loja de utensílios domésticos no dia 30 de novembro, na Rua Marechal Deodoro, também teriam sido facilitados por funcionários dos estabelecimentos.
    “Tem sido comum a participação de funcionários, principalmente nessa época de final de ano, quando esse tipo de crime aumenta. Ficou claro durante as investigações a participação de funcionários, que teriam passado dicas de onde o dinheiro estaria guardado e da movimentação do estabelecimento. Os proprietários devem ficar atentos a essa situação”.
     Segundo a delegada, existe ainda a possibilidade de que mais pessoas façam parte de uma organização criminosa. “Durantes as investigações, ficou evidenciado que os autores revezam veículos e parceiros, dependendo de quem tem a melhor informação naquele momento para efetuar os roubos. Então eles emprestam o veículo para um deles se juntar a outros indivíduos e praticar assaltos, e vão variando de parceiros e de locais. As investigações continuam, e essas prisões são importantes porque, por meio das informações coletadas, podemos formar um link para fechar outras investigações”, finalizou.