Falta de fraldas na rede pública gera transtornos para pacientes

Falta de fraldas na rede pública gera transtornos para pacientes

Pacientes que recebem fraldas geriátricas descartáveis da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) estão passando por alguns transtornos para ter direito ao benefício. Familiares dos idosos relatam que escassez de fraldas na rede pública do município tem sido corriqueira. Além disso, quando encontram o item, geralmente não é do tamanho adequado para o idoso.


A empresária autônoma Thamires Fernandes Mattos Cruz, de 27 anos, precisou recorrer ao Ministério Público (MP) para solicitar a normalização do abastecimento para sua avó, a aposentada Damarice Ribeiro de Andrade, de 80 anos. Há cerca de um ano a idosa foi incluída no cadastro da Secretaria de Saúde (SS) e, desde então, no dia 23 de cada mês, ela recebia 120 fraudas. Entretanto, no mês passado, os problemas começaram.


“Procuramos a SS para retirar as fraudas e, para nossa surpresa, fomos informados que havia acabado, e que não tem previsão de reabastecimento. Na segunda-feira, 6, eles disseram que talvez o problema seja normalizado no próximo mês”, explica Thamires.


No período em que aguarda pela reposição, a família já gastou mais de R$300 para comprar pacotes de espécie diurna e noturna para a idosa, que usa, em média, 12 fraldas por dia. “É um gasto que a gente não sabe por quanto tempo vai conseguir arcar. Compramos o pacote mais barato, o diurno custa cerca de R$12 e o noturno R$14. Minha avó sobrevive com um salário mínimo e precisa desse dinheiro para pagar outras coisas, como medicamentos e alimentação especial”, ressalta a empresária.


Ainda segundo Thamires, foi preciso entrar com mais uma ação no Ministério Público, após uma recusa da secretaria em aumentar o volume do fornecimento. “O médico emitiu um laudo que comprova a necessidade de aumentar de 120 para 180 fraldas, porém, a secretaria recusou”, disse.

 

SS AFIRMA QUE ABASTECIMENTO DE FRALDAS ESTÁ ATRASADO


Em nota, a assessoria da pasta admitiu o problema, e reforçou que a falta de fraldas está relacionada ao atraso na entrega por parte da empresa ganhadora da licitação. A SS também afirma que já notificou a fornecedora e solicitou urgência na entrega, mas que a regularização depende da entidade. Com relação a família ter protocolado ação junto ao MP, a secretaria reitera que “não foi notificada. Mas caso chegue a ação, a SS irá fornecer todas as informações solicitadas ao órgão responsável”, explica.

Logotipo do Grupo DMI    Logotipo da Agência Formigueiro