Empresas juniores são alternativas acessíveis em momento de crise

Empresas juniores são alternativas acessíveis em momento de crise

As empresas juniores tornaram-se uma opção rentável de orientação e serviço no momento de crise. Muitas pessoas precisam de consultoria, mas não conseguem arcar com um alto valor, momento em que um empresário júnior pode ser a opção ideal. A Empresa Júnior é formada, exclusivamente, por alunos da graduação, que prestam serviços e desenvolvem projetos para empresas, entidades e sociedade em geral nas suas áreas de atuação, sob a orientação de professores e profissionais especializados. Ela não tem fins lucrativos, e toda a sua receita retorna para a empresa na forma de capacitação dos seus membros.


Há 25 anos no mercado, a Machado Sobrinho Consultoria Integrada (Masci) é a Empresa Júnior da Faculdade Machado Sobrinho, e presta serviços de Consultoria no setor administrativo e contábil. Segundo o vice-diretor da Masci, Rodolfo Ragazzi, a empresa vem crescendo nos últimos anos, em comparação entre os anos de 2014 e 2015. Segundo ele, a empresa cresceu mais de 184%, reflexo do trabalho dos integrantes. “Conseguimos ter as mesmas soluções, com a mesma qualidade que as empresas seniores, e atingindo o mesmo resultado, com o valor de investimento muito abaixo do mercado”, contaRagazzi.


Uma empresa júnior não pode remunerar os seus funcionários, portanto, os 32 funcionários da Masci trabalham voluntariamente, fazendo uma carga horária de 25 horas por semana. Como a mão de obra não é paga, o custo do serviço é baixo, mas o principal benefício é a formação do estudante. “Ele sai universitário da faculdade e vira empreendedor, capaz de fazer a diferença”, comenta.

Casa das Empresas Juniores


Juiz de Fora tem 21 Empresas Juniores, sendo que 12delas estão na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A Mais Consultoria Jr. e a Porte Empresa Jr. estão há 13 anos no mercado, e, a cada ano que passa, vêm ganhando mais espaço.
A Porte Empresa Jr. é formada por estudantes dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e das Engenharias Civil, Elétrica e Ambiental e Sanitária. Desde 2012, a empresa aumentou o seu faturamento em 427%. No ano passado, 36 projetos foram realizados para diversos clientes, com índice médio de satisfação de 91%. Segundo uma premiação para a categoria, é a empresa júnior que mais cresceu em 2015 em Juiz de Fora.
O diretor-presidente da Porte Empresa Jr., Nilton Marques Brovini,ressalta, para aqueles que estão temerosos com a qualidade do trabalho, que os projetos são supervisionados por professores e que a qualidade do projeto não deixa a desejar. “Nosso preço, em geral, fica cerca de 30% a 40% mais barato que o de mercado, justamente porque não visamos o lucro. Isso acaba sendo uma vantagem em tempos de crise, pois o projeto sai mais barato”.
A Mais Consultoria Jr. é formada pelos alunos da Faculdade de Engenharia da UFJF. De acordo com o diretor-presidente da empresa, Ícaro Abreu Toledo, os empresários estão desistindo de passar o aumento de preço para o cliente final. “Então eles estão abaixando os custos para poder ter lucratividade”.