JF tem o menor índice de infestação de Aedes aegypti dos últimos cinco anos

JF tem o menor índice de infestação de Aedes aegypti dos últimos cinco anos

A Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) divulgou o primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (Liraa) de 2017, nessa quarta-feira, 11: 3,4%, o menor dos últimos cinco anos neste período, sinalizando médio risco. Em dezembro de 2015 foram registradas 500 notificações de casos de dengue. No mesmo período de 2016, 16. Foram vistoriadas 5.838 residências e 80% dos focos encontrados nas propriedades particulares. Os bairros que apresentaram maior incidência de infestação foram Milho Branco, Santa Cruz, Vila Ozanan, Granjas Bethel/Santa Clara, Jóquei Clube 2, São Mateus, São João e Nossa Senhora das Graças.

De acordo com a secretária de Saúde, Elizabeth Jucá, o médio índice é resultado do trabalho conjunto entre agentes, com apoio do Exército e da população. Ela comemorou o resultado, mas alertou para a fundamental importância da continuidade da prevenção. "Apesar da situação climática desfavorável, com chuva e calor intensos, tivemos um Liraa de médio risco. Isso é fruto do trabalho desenvolvido em conjunto entre os agentes e a população. Mesmo assim, não podemos esquecer de dedicar os dez minutos semanais, para evitar possíveis focos dentro das casas".

Desde o fim de 2016 os agentes de endemias foram regionalizados e passaram a ficar baseados nas unidades de saúde. Eles atuam em conjunto com os comunitários no território, fazendo o trabalho com a população, para conscientização e orientação de profilaxia dentro de cada moradia. O trabalho nas ruas continuará sendo feito, e intensificado nos locais que apresentaram o maior índice de infestação. Como os focos estão, predominantemente, dentro das residências e outros locais particulares, a comunidade deve ficar ainda mais atenta aos cuidados com sua casa, para evitar a proliferação do mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya.

Medidas de combate

Outros bairros, que possuíam altos índices de infestação em outros Liraas, conseguiram sair dessa lista graças a uma parceria da comunidade com os agentes e adesão ao trabalho de vistoria e prevenção. São os casos de Monte Castelo e Democratas, onde as associações de moradores, o comércio e a população se juntaram aos agentes na luta contra o Aedes.

A sala de situação, que converge os esforços das diversas secretarias da PJF envolvidas no combate, está em funcionamento no prédio da Defesa Civil. Quem suspeitar de algum foco deve denunciar ao Disque Dengue, pelo 199, que atende 24 horas.

Fonte: Prefeitura de Juiz de Fora